Sequilho




     Dos tempos do Império, quando havia sinhás e coronéis nas varandas dos casarões, vem o sequilho (ou quebrador). Era a iguaria mais requintada que se servia nas casas, por ocasião das visitas solenes, das reuniões políticas ou simples encontros culturais em saraus.

     Essa quintanda é mais que um guloseima, é parte da história goiana, uma relíquia que não pode se perder no tempo.




2 comentários:

  1. Maria Fernanda Valim13 de julho de 2011 06:28

    Deliciosa preciosidade histórica! É mesmo de dar água na boca. Meus parabéns.

    ResponderExcluir
  2. nao entendi nada,seus idiotas

    ResponderExcluir